MATO GROSSO, 20 de Junho de 2024

cotações: DÓLAR (COM) 5,44 / EURO 5,85 / LIBRA 6,92

geral Sexta-feira, 19 de Março de 2021, 12:39 - A | A

Sexta-feira, 19 de Março de 2021, 12h:39 - A | A

CAOS NA PANDEMIA

Prefeito decreta situação de calamidade pública em Chapada dos Guimarães: "pânico e mortes"

Assessoria

 

O prefeito Osmar Froner assinou nesta sexta-feira (19) o Decreto nº 035/2021 declarando o Estado de Calamidade Pública no município de Chapada dos Guimarães para fins de prevenção e enfrentamento à pandemia causada pela Covid-19. O documento foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial Eletrônico dos Municípios. A situação de calamidade vigorará por 180 dias, podendo ser prorrogada em caso de necessidade.

De acordo com o texto, a medida leva em consideração a emergência na saúde pública, em âmbito nacional e internacional, decorrente da pandemia e seus impactos socioeconômicos e financeiros, além da necessidade de extrema urgência na destinação de recursos públicos para investimentos na saúde.

Com o decreto, as secretarias municipais ficam autorizadas a adotar as medidas necessárias à prevenção e ao combate à doença. Além disso, permite ao Poder Executivo, sempre que necessário, abrir crédito extraordinária para a cobertura de despesas.

Osmar Froner explica o município não está medindo esforços ´para salvar vidas. “Estamos investindo na adequação da UPA e dos Postos de Saúde da Família. Tínhamos três leitos de enfermaria, e hoje estamos com 17. Investimos na oxigenoterapia, fisioterapia, aumento do número de profissionais da saúde, adquirimos mais de R$ 500.000,00 em medicamentos, reforçamos a frota de veículos, e instalamos o Complexo de Atendimento ao Covid-19. Mesmo com todos esses esforços, precisamos socorrer nossos munícipes com rapidez, pois a vida não espera”, disse o prefeito.

Segundo o chefe do Poder Executivo Municipal, mesmo com a melhoria na estrutura da saúde o município está enfrentando a falta de leitos em Cuiabá e Várzea Grande para atender aos pacientes com pedidos de regulação pelo SUS.

“Não existe vagas. Não sou da área médica, mas penso que a segunda onda da doença está com uma trajetória mais rápida na infecção do pulmão, e no agravamento do paciente para o óbito. A maioria dos pacientes estão entrando com 30% de comprometimento pulmonar, e com os protocolos normais dão uma estabilizada e, de repente, vai evoluindo a 70 e 80% causando pânico e mortes”, lamentou Osmar.

O prefeito relata que diante das ocupações dos leitos de UTIs das redes pública e privada do estado, a preocupação no momento é de preparar novas vagas em enfermarias, e ampliar o atendimento dentro do município. Ele cita o exemplo da cidade de Manaus, que com protocolos diferentes, como a contratação rápida de médicos, obteve bons resultados.

“Além dessas medidas, precisamos fazer com que a população cumpra os protocolos de prevenção à Covid-19, como evitar a aglomeração, os contatos físicos e o aumento do fluxo de pessoas, em especial, em ambientes fechados. E também o uso de máscara e os cuidados quanto à higienização das mãos e de objetos, enfatizou.

O prefeito também defende que com a contração dos profissionais é possível avançar nos procedimentos e atendimento à população, para isso observa que o município também precisa da ajuda do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso para dar suporte e segurança jurídica aos profissionais, com um único objetivo: salvar e preservar vidas.

A Prefeitura Municipal vai ainda solicitar, por meio de mensagem, que a Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso reconheça o estado de calamidade pública, para os fins da Lei de Responsabilidade Fiscal.

COVID-19 EM NÚMEROS

Conforme o Boletim Epidemiológico, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, na última quarta-feira (17), o município já registrou 956 casos confirmados da doença, desde o início da pandemia. Deste total, 136 são pessoas que estão portando o vírus neste momento, e que devem estar, obrigatoriamente, isolados em domicílio. 16 estão hospitalizadas (10 na UPA e 6 em Cuiabá), e 36 pessoas já morreram em decorrência da Covid-19.

Nossas notícias em primeira mão para você! Link do grupo MIDIA HOJE: WHATSAPP



Comente esta notícia