15 de Julho de 2024

cotações: DÓLAR (COM) 5,46 / EURO 5,96 / LIBRA 7,10

economia Sexta-feira, 14 de Junho de 2024, 11:01 - A | A

Sexta-feira, 14 de Junho de 2024, 11h:01 - A | A

ECONOMIA CUIABANA

Saldo de geração de empregos em Cuiabá aumenta 27% no primeiro quadrimestre

Assessoria

 

1

Os setores de comércio e serviços foram responsáveis por cerca de 7 em cada 10 vagas de emprego criadas

 

 

Levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá) feito com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta que o saldo da geração de postos de serviço na capital subiu 27% no primeiro quadrimestre de 2024 no comparativo com o ano anterior.  Ao todo, foram 5.280 novas vagas abertas, resultado entre admissões (+46.632) e demissões (-41.352) de pessoal. 

 

Os setores de comércio e serviços foram responsáveis por cerca de 7 em cada 10 vagas de emprego criadas, enquanto a indústria mais que quadruplicou (+310%) a sua participação neste quesito em relação aos quatro primeiros meses de 2023. 

 

De acordo com o presidente da CDL Cuiabá, Junior Macagnam, o aquecimento do mercado de trabalho em diferentes segmentos tem papel fundamental para a melhora do cenário econômico no município e em todo o país.  “Com mais pessoas atuando no regime formal, o trabalhador passa a ter previsibilidade financeira e pode adequar o seu padrão de vida ao orçamento. Dessa forma, a expectativa é de queda do endividamento e inadimplência e aumento do consumo de forma geral”, analisa o mandatário.   

 

Ainda segundo a análise do Núcleo de Inteligência de Mercado da CDL Cuiabá, quase metade das oportunidades profissionais com carteira assinada abertas entre janeiro e abril deste ano foram preenchidas por jovens de 18 a 24 anos. Em seguida, aparece a faixa etária de 30 a 39 anos, que representa 12,7%.  

 

Quanto ao perfil dos trabalhadores contratados, 55,7% são homens e 44,3% são mulheres. Pouco mais de 79,6% deles possuem o ensino médio completo. 

 

 

Nossas notícias em primeira mão para você! Link do grupo MIDIA HOJE: WHATSAPP



Comente esta notícia