MATO GROSSO, 17 de Junho de 2024

cotações: DÓLAR (COM) 5,38 / EURO 5,76 / LIBRA 6,82

política Sábado, 27 de Março de 2021, 12:17 - A | A

Sábado, 27 de Março de 2021, 12h:17 - A | A

POLÍTICA

Medeiros pede apoio de Bolsonaro para indústria animal produzir vacinas contra Covid

Assessoria

reprodução

 

Na tentativa de buscar alternativas para aumentar a produção de vacinas contra o coronavírus no Brasil, o deputado federal José Medeiros (Podemos) apresentou para o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nesta sexta-feira (26), a proposta do senador Wellington Fagundes (PL) e do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) de utilizar fábricas de vacinas animais para produzir imunizantes da Covid-19.

“Falei com o presidente Bolsonaro e ele imediatamente acionou o ministro da Saúde e o presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O presidente pediu que a proposta seja analisada com a maior celeridade possível. A meta do Governo Federal é ampliar e acelerar a imunização em nosso país”, informa Medeiros.

Com aval do Palácio do Planalto, Medeiros acredita que a produção de vacinas será em grande escala e em um curto espaço de tempo.

“Estou muito confiante, pois a utilização dos parques industriais de imunizantes animais é totalmente viável, uma vez que eles possuem um alto nível tecnológico e de biossegurança. Parabéns ao senador Wellington e a todos envolvidos”.

Medeiros informa que na próxima segunda-feira (29), a comissão criada no Congresso Nacional para acompanhar as ações de combate ao covid-19 vai se reunir para debater a proposta com representantes da Anvisa, dos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Ciência, Tecnologia e Inovações, da Diretoria do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde e do Sidan.

De acordo com o senador Wellington Fagundes a inclusão de três novos superlaboratórios, que hoje produzem vacinas animais, vai ampliar a produção de imunizantes da covid em até 400 milhões de doses.

“Com a transferência da tecnologia, temos grandes indústrias com condições de produzir vacinas com toda a biossegurança e com tecnologia de ponta. O que precisa agora é um entendimento entre Brasil e seus organismos e também com os acordos internacionais que já foram feitos. Se nós conseguirmos todas as licenças, é possível que em 90 dias após a aprovação nós tenhamos o volume de vacinas para atender toda a população brasileira”, declarou Fagundes em recente entrevista para a Agência Senado.

A proposta de utilizar as indústrias que produzem imunizantes no campo pecuário também entrou na pauta da reunião da bancada federal de Mato Grosso com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na noite desta sexta-feira. Na reunião, a bancada discutiu o colapso no sistema de saúde de Mato Grosso com a explosão de casos de pessoas infectadas com o coronavírus e pediu apoio do Ministério da Saúde para enfrentar a situação.

“Foi uma reunião muito produtiva. Falamos sobre o plano de abastecimento de oxigênio no estado, novos leitos de UTIs e o programa de imunização. O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, não está medindo esforços para ajudar o nosso estado nesse momento tão difícil, onde pessoas estão morrendo em decorrência do vírus e também por falta de leitos de UTIs. Lamentamos a demora do Governo do Estado em adotar medidas para evitar esse colapso e a morte de milhares de pessoas”, declara Medeiros.

O parlamentar cita ainda que no último dia 23, o Ministério da Saúde autorizou a abertura de mais de 100 novos leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid em Cuiabá e Várzea Grande.

“O ministério vai custear mensalmente esses novos leitos. Além disso, a União já divulgou o envio de R$ 15 bilhões para a saúde de Mato Grosso. Recursos não faltam para investir no combate ao vírus. O que falta é planejamento, senso de urgência e sensibilidade por parte do Governo de Mato Grosso”, conclui.

Nossas notícias em primeira mão para você! Link do grupo MIDIA HOJE: WHATSAPP



Comente esta notícia